segunda-feira, 29 de abril de 2013

Sentimento familiar


Fiquei aqui por muito tempo pensando em um título pra essa postagem,e mais algum tempo pensando em como começar,como por pra fora tudo o que estou sentindo,não achei jeito fácil mas,portanto vamos do jeito que der.Estou me sentindo mal,muito mesmo não sei nem por onde começar,se pelo fato do meu pai não ter me ligado no meu aniversário,meus amigos parecem ter me esquecido e tudo que eu consigo fazer e chorar pelos cantos.
 Tive uma infância difícil e uma adolescência pior ainda,sempre fui muito diferente das minhas irmãs,era a mais gorda e tinha o cabelo todo enrolado,sempre extremamente tímida nunca fui do tipo que chamava atenção,e as pessoas sempre faziam questão de apontar essas diferenças,principalmente com comparações entre mim e minha irmã mais velha que eu 1 ano,ela sempre extrovertida,magra e com seu cabelo ondulado,comprido e perfeito era a preferida da maioria das tias,tios e primos,e eu o oposto de dela em tudo,isso fez com que eu desenvolvesse um complexo de inferioridade em relação as minhas irmãs.A época de escola era um inferno pra mim,as crianças eram absurdamente maldosas comigo e apesar disso duas das meninas mais bonitas e populares da escola eram também minhas melhores amigas (amizade que dura até hoje <3) mas isso não impedia que as outras pessoas fizessem brincadeiras comigo,na adolescência quando todas as minhas amigas já tinham dado os primeiros beijos da vida,os meninos pareciam ter amadurecido e não me zoavam tanto,mas nenhum nunca chegou em mim,e por diversas vezes teve casos de alguma amiga minha chegar e preguntar pra algum garoto o que ele achava de mim e ele prontamente responder "A Alice não!" talvez medo de que fosse pedir pra ficar com um deles,a última lembrança cruel que eu tenho dessa fase foi o dia que tacaram uma garrafa pet de 2 litros cheia de água em mim,na época eu estava começando a me achar bonita e tentando ter confiança em mim,mas isso pois tudo a água abaixo,pensaram "Vamos zoar a gorda" doeu muito fisicamente,mas a vergonha foi maior,tentei disfarçar mas porra,foi na saída do colégio,e várias pessoas presenciaram a cena,nunca contei isso aos meus pais nem a ninguém,talvez no funfo no fundo achava que eu merecia aquilo...As coisa só mudaram mesmo aos 16,quando eu mudei muito,em outras palavras EMAGRECI as custas de muitas dietas loucas,foi a época em que encontrei a Ana pela primeira vez,claro que na época eu não sabia disso,mas convenhamos que passar dias a base de café e muitos exercícios físicos me renderam alguns desmaios,uma gastrite companheira inseparável até hoje e muitos,muitos quilos a menos.Foi nessa época que os meninos começaram a me notar,comecei a estudar a noite,fiz muitos amigos,era muito popular e muitos garotos cobiçados na época estavam me disputando,comecei a namorar um menino muito fofo e que me adorava,mas uma pessoa por maldade ou sei lá o que inventou umas histórias e eu terminei com esse menino,que ainda correu atrás de mim pra caramba,e todos diziam que ele sofreu muito por isso,mas eu não queria saber,e ai começou o período realmente negro em minha vida.Todas essa experiências traumáticas fizeram com que aos 17 anos eu fosse diagnosticada com depressão,desenvolvi síndrome do pânico moderada,TOC e uma certa dependência de álcool e inibidores de apetite,bebia quase todos os dias depois da aula,e foi nessa época que um professor notou que eu quase não falava,eu meio que desenvolvi medo de me expor e fui parar na terapia em grupo.Depois de um tempo de tratamento que não fazia efeito,aconteceu algo muito ruim com minha irmã mais nova que eu 3 anos,não vou entrar em detalhes no momento mas isso fez com que eu me reerguesse pra dar força a ela,e é isso achei que estava curada,as crises de depressão voltavam de tempos em tempos,mas eu tinha determinação de superar cada uma delas,mas hoje,sete anos depois desde que fui diagnosticada sinto que pela primeira vez estou perdendo a batalha pra doença,é triste dizer isso,mas antes o que me motivava era minha família,meus sonhos e a vontade de ser vista pelos outros como uma menina alegre,tudo isso me motivava demais,mas hoje o único motivo pelo qual não coloco um fim nisso tudo são minha mãe e minha irmã,a única certeza que elas tem na vida é que eu vou voltar pra casa no fim do dia,e não posso tirar essa certeza delas,sofro tudo isso calada,porque as coisas em casa não está nada fácil e alguém tem que ser forte e sobrou pra mim esse papel.
 Todas essas lembranças são dolorosas demais,e na maior parte do tempo é como se elas não existissem pra mim,mas as vezes volto e dou uma coçada nessas feridas pra elas voltarem a doer e eu me lembrar que tenho um objetivo forte.Não posso comer porque pode ser que me taquem uma garrafa de novo e não sei se dessa vez suportaria tanta humilhação.
 É só mais uma crise,mas porque tinha que ser logo agora que eu estou me apaixonando,pela primeira vez de verdade e se por um milagre ele corresponder vai se deparar com uma pessoa que é um trapo emocionalmente :'(
 Só queria um colo,alguém que cuidasse de mim.Até as pessoas que se diziam meus amigos estão se afastando de mim.
 Acho que estou enlouquecendo <o>

Editando:
 Vou começar a SGD com mais algumas garotas,no estilo começar e mais importante IR ATÉ O FIM.

15 comentários:

  1. Para chegar onde estamos, acho que todas nos passamos por experiencias traumáticas... sei muito bem o que é estar a beira da insanidade!
    Apesar da historia triste, gostei de saber um pouco mais do seu passado... unica coisa que posso afirmar com toda certeza é que oque nosso passado por ser duro conosco, nos deixaram mais forte!
    Uma parte do meu passado foi bem parecido com o seu...não sei se um dia contarei ele la no blog, eh ruim lembrar do passado... fazer oq ne? o negocio é tocar a vida tentando não enlouquecer HEUIAHEUIAHE
    Bjão
    Alê

    ResponderExcluir
  2. Boa tarde! Estou te seguindo ;)
    Faço das palavras da Alexia as minhas.
    O importante é a causa pelo que você está lutando.
    Volte sempre!

    ResponderExcluir
  3. Oi,flor
    Li todo seu depoimento e me comovi,assim como grande parte das ana,nós
    sofremos com algum tipo de bullyng na infância que desencadeou algum tipo diferente,comigo também foi assim.Eu sei como é se sentir sem chão,ter vontade de desistir de tudo e ligar o FOD*-SE ,sei como é difícil ter voltada de reagir e dar a volta por cima.Bom,eu acho que vc precisa da ajuda de um profissional,eu comecei a me consultar com um psiquiatra e tô me sentindo bem melhor,me sinto outra pessoa,além disso acho essencial vc se apoiar na sua família e na suas amigas,procure sair,se diverti ,eu sei que é fácil falar,mas é fundamental que vc encontre uma razão para viver e que vá te trazer felicidade.Acho que é isso,qualquer coisa pode contar comigo,beijos (:

    ResponderExcluir
  4. Nossa flor, você é uma guerreira, gosto disso. Minha infância, mal tive. Sempre sofri humilhação por parte dos meus parentes e então eu digi: sou mais forte do que qualquer um. Se essas coisas ruins aconteceram temos que tirar a única coisa boa delas. E viva o seu momento, namore mesmo e bem muito. Esqueça a parte ruim da viva e beije pra esquecer UHEUHEUHEHEUEUE essa é a parte boa de ter um boyfriend. Cabeça pra cima e foque sempre em seu objetivo. Vamos mostrar que somos melhores que esses trouxas. É isso. Força sua linda!

    ResponderExcluir
  5. Ei moça! Como está? Lembra de mim? Poxa, tô com saudade. Faz mais de um ano que não nos falamos, que bom ver que você ainda está por aqui. http://www.facebook.com/anaclara.callegaro?ref=tn_tnmn me adicione no face pra gente conversar! beijo, se cuide

    ResponderExcluir
  6. força, muita força, não desista dos seus objetivos! você passou por tanto, derrube mais esse obstaculo! beijão linda ;*

    ResponderExcluir
  7. Nossa q barra flor
    sua vida e bastante dificil mesmo
    mas força vamos juntas na dieta
    e tbm to na SGD junto com a Ale
    por isso to passando no blog das meninas q tbm estao participando pra conhece-las melhor ja q nao conhecia nenhuma alem da Ale

    Passa no meu cantinho se quiser.

    Kiss

    ResponderExcluir
  8. Boa tarde!
    Espero que as coisas melhorem pra você.
    E aí, como está indo na SGD?
    Volte sempre :3

    ResponderExcluir
  9. oi alice! estou te seguindo (:
    sobre seu texto, me identifiquei muito.. eu não tenho irmã, mas tenho primas, até hoje todas conseguem ser mais bonitas que eu, e pra falar a verdade, não é que são mais bonitas, são mais magras.. eu to naquela fase de querer mudar, me sentir bem, mas como eu já passei por isso uma vez, eu sei meus limites.. as coisas não estão ficando fácil, estou começando a emagrecer e to enfrentando um monte, mas eu quero vencer isso tudo..
    desculpe o desabafo =/
    forças viu?
    beijinhos s2

    ResponderExcluir
  10. Poxa que froids em, mais nao deixa a doença te dominar nao, voc precisar mostrar que é mais forte que ela.
    Voc é mais forte do que pensa, mais precisa correr atras e virar esse jogo.
    Se precisar de algo pode contar cmg ta?
    SOu sua nova seguidora rs'
    bjks

    ResponderExcluir
  11. muita força eu tb sofri muito bullying na escola

    ResponderExcluir
  12. Ora querida, o que posso dizer?
    Eu realmente entendo o que vc passou na escola, eu passei por muitas coisas parecidas, Eu sei que as marcas são profundas e por isso te respeito, vc se reergueu muitas vezes e até deu a volta por cima uma vez... Doenças psiquicas são as piores, pois elas fazem com que acreditemos que a cura é possivel, que conseguimos, que a partir de agora vai ficar tudo bem pra sempre. Daí quando vc ve elas estão aqui de novo, perturbando o que restou da ultima batalha, tentando nos levar de volta. Mas pensa bem, vc ja conseguiu uma vez, vc conseguiu chegar ao ponto de achar que estava tudo certo, pq vc é forte, vc pode muito bem lutar contra isso de novo, não vou dizer que vc va vencer a guerra, mas te garanto mais uma batalha e um dia flor, vc vai perceber que não tem mais batalhas para serem vencidas, vc derrubou o inimigo de vez...
    Desculpa a carta...
    Mas o que quero dizer é que é importante lutar e acreditar que o fim da escuridão pode chegar...

    Beijos e pode contar sempre comigo...

    ResponderExcluir
  13. crianças são malvadas... nunca jogaram uma garrafa pet em mim, mas cantaram aquela musiquinha "gorda, baleia, saco de areia..." na frente da minha casa, pulando, gritando, rindo, como se fosse uma grande festa. E nada do que eu fizesse ou dissesse os faziam parar... dia ruim...
    seguindo seu blog. espero que melhore, de verdade... ~Marcy

    ResponderExcluir
  14. Demorei, mas cheguei. *-*
    Espero que não tenha abandonado o seu blog, pois achei seu cantinho muito bonito! *-*

    E, Lord! '-' Me vi em seu post! ç.ç
    Tenho só uma irmã, ela é um ano e quatro meses mais velha que eu... Sempre foi alta, cabelos lisos e magra. >_> Então, na escola era sempre comparada com ela, pois ela chamava atenção dos rapazes, enquanto eu era xingada de gorda, baleia, bola 8, entre outros apelidos, pelos mesmos rapazes... =/

    Eu te entendo pois não tenho amigos... Somente virtuais, então. Sei como é se sentir sozinha. =/
    Mas tenho certeza que você irá se reerguer. ♥
    Força, princesa. *-*


    Kisses, Roxy. ♥

    ResponderExcluir
  15. Ô minha Alice, nem sei o que te dizer a respeito dessas feridas que sempre voltam a doer...
    Eu passei por muitas coisas semelhantes na adolescência, até na infância mesmo. Sofro bullying até hoje!
    Mas olha, você já passou por tantas e continua essa menina doce e determinada. Eu acredito em você.
    E vamos sim, cuidar da nossa alimentação e AF. Vamos mudar esses sentimentos dentro de nós e vamos conquistar!

    Ps.: uma cronogrameira? Que lindo! Eu amo cuidar do cabelo... E tem sido essa a minha válvula de escape!

    Cheirinho, minha flor.

    ResponderExcluir